Biografia

Soprano brasileira, natural de Urussanga, Santa Catarina, Kalinka Damiani é graduada em Música pela Udesc.  Aperfeiçoou-se com a renomada professora Neyde Thomas em Curitiba, onde ingressou no Curso de Bacharelado em Canto da Escola de Música e Belas Artes com nota máxima na banca de canto. Também na Embap, cursou a pós-graduação lato sensu - Especialização em Performance em Canto estudando com nomes como Martha Herr, Niza Tank, Carol McDavid e Luiz Senise.  Foi integrante do projeto “Tela Lírica”, intercâmbio do Centro Cultural Teatro Guaíra e Universidade e Conservatório de Adria, Itália.
Entre suas premiações estão:
·         Melhor soprano leggero no IV Concurso Maria Callas;
·         1° lugar no Concurso Carlos Gomes
·       Troféu ABAL de melhor intérprete de Carlos Gomes no Concurso Carlos Gomes;
·         1º Prêmio La Traviata no Concurso Aldo Baldin;
·     1° lugar – Concurso Bianca Bianchi (Música de Câmara com o pianista Ivan Pires)
·         Melhor intérprete de Mozart no V Concurso Maria Callas
·         Grande prêmio do público - V Concurso Maria Callas.
Debutou com a ópera Elisir d'Amore no papel de Adina, com montagem da Cia de Ópera Experimental no Teatro Guaíra em Curitiba. Por um ano (1999-2000) excursionou com a ópera La Serva Padrona pelo projeto Comboio Cultural da Secretaria de Cultura do Estado, totalizando 100 récitas com direção musical do maestro Oswaldo Colarusso e direção cênica de Edson Bueno.
Em novembro de 2000, à convite da Embaixada Brasileira, apresentou-se em Roma, Itália, em comemoração aos 500 anos do Brasil com o pianista Ivan Ribeiro Pires.
Protagonizou grandes títulos de óperas no Brasil e no exterior. Entre elas destacam-se La Traviata, Die Zauberflöte, I Capuleti e I Montecchi, La Serva Padrona, Il Guarany, Rigoletto, O Empresário, O Rapto do Serralho, Giulio Cesare, L Enfant et le Sortileges, A Viúva Alegre, O Barbeiro de Seviglia e La voix humaine.  
Cantou sob a batuta de competentes diretores musicais entre eles Joaquim Paulo do Espírito Santo, Osvaldo Colarusso, Osvaldo Ferreira, Tullio Colacioppo, Carlos Vieu, Emanuel Martinez, Gil Gonçalves, Mario de Rose, Carlos Lima, Sérgio Dias, Sílvio Barbato, Alessandro Sangiorgi, Jeferson Della Rocca, Júlio Medaglia, Daisuke Soga, Gustavo Fontes, Maurizio Colasanti e cênicos Walter Neiva, Edson Bueno, Daniel Suarez Marzal, Moacyr Góes, Antônio Cunha e Maurizio di Mattia.
         Cantou o papel titulo na estréia mundial da ópera Zaira (composta1809) de Bernardo José de Souza Queiroz, primeira ópera composta em solo brasileiro.
Em concerto foi solista da Nona Sinfonia e Fantasia Choral de Beethoven, Requiem de Mozart, Exultate Jubilate de Mozart, A Criação de Haydn, O Messiah de Handel, Carmina Burana de Orff,  Gloria de Vivaldi e recentemente Les Illuminations de Britten. 
      Em 2009 ingressou como professora dos cursos de Artes Cênicas e Música da Universidade do Estado de Santa Catarina. Integra o corpo docente do Encontro de Cantores de Curitiba, Festival de Música de Londrina, Oficina de Música de Curitiba e Semana de Música da UFAM.
        Convidada pela segunda vez para Temporada Internacional de Ópera de Medellin, Colômbia, protagonizou a ópera Lucia di Lammermoor de Donizetti com regência do argentino Dante Ranieri e direção cênica do búlgaro Ognian Draganoff com grande sucesso de crítica.
        É idealizadora e orientadora do projeto "Pisando no Palco" de estudo de repertório, performance e organização de recitais, em parceria com a Orquestra Unisul e orientadora vocal do grupo de música antiga "Cantus Firmus".
         Paralelamente ao repertório lírico e de concerto, dedica-se também ao repertório de câmara com o pianista Luis Claudio Barros.
     Em 2014 foi idealizadora e coordenadora do projeto Cirandas, premiado pela FUNARTE, de resgate das cirandas e cantigas de roda nas escolas.
          Solista do cd "Carmina Burana" recentemente lançado na Alemanha com a Camerata Antíqua de Curitiba e Carmina Mundi sob regência de Harald Nickoll.
            Sobre uma de suas performances em La Traviata a revista espanhola Opera Actual assim colocou: (...) "sobresalió Kalinka Damiani con una excelente preperación a nível vocal e interpretativo, con una voz de timbre elegante (...)”